Rede Social de Monterealonline
Locais de Monte Real

 

Situado na vila histórica de Monte Real, a 15 kms de Leiria e a cerca de 10 kms das praias de Vieira de Leiria, Pedrogão e S. Pedro de Moel, o Palace Hotel Monte Real ressurge totalmente reestruturado e equipado, de modo a poder oferecer aos hóspedes os mais elevados padrões de qualidade



 

A situação de Monte Real a par de uma aproximação das praias de Vieira de Leiria, Pedrógão e S. Pedro de Moel, de importantes centros históricos como Alcobaça, Batalha, e Leiria, do Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros, fazendo fronteira com o histórico Pinhal de Leiria, tornam-na um lugar impar no centro de uma região turística plena de atractivos.

O Rio Lis, ainda navegável na Idade Média corre, imediatamente, a Nascente e a Norte, foi e continua a ser também um factor de desenvolvimento para Monte Real e para as povoações ribeirinhas. Desde os tempos pré-históricos sempre despertou a maior cobiça, tanto pela riqueza do seu solo como pela situação privilegiada, pois assenta no alto de uma colina dolomítica que domina o Lis. Fundada no Reguengo de Ulmar veio a chamar-se Póbra de Mô Real e Vila da Póvoa de Mon Real. Dos tempos em que tinha este último nome e a sua importância era grande, ainda restam, na parte mais alta da povoação, vestígios do antigo Paço Real, reduzido a uma construção restaurada, onde D. Dinis e a Rainha Santa Isabel terão habitado.

Monumentos

No alto da colina dolomítica (parte mais antiga de Monte Real) encontramos, ao lado das ruínas dos paços reais, atribuídos à Rainha Santa Isabel, uma capela mandada construir pelo bispo de Leiria, D. Martim Afonso Mexia, na primeira metade do século XVII, para impedir que o Duque de Caminha ali construísse um palácio, destruindo o paço real. Daqui pode-se desfrutar uma vista soberba de vários quilómetros do vale do Lis para montante e para jusante, assim como várias povoaçôes.

Ainda na parte antiga de Monte Real podemos encontrar a Capela de S. João Baptista (antiga Igreja Matriz). Foi incendiada pelos franceses durante as invasões, sendo depois reconstruída. Em 1928 desmoronou, apenas ficando de pé o campanário que data de 1723, tendo voltado a ser reconstuída a capela.

Na parte antiga, também, podemos encontrar um pelourinho (único no Concelho) datado de 1573. Constituído por uma coluna de fuste cilíndrico com base quadrada, assente em três degraus circulares. Por trás deste pelourinho encontra-se a Casa da Câmara (Domus Municipalis ou Paços do Concelho). Incendiada durante as invasões francesas, foi adquirida pela Câmara Municipal de Leiria em 1834. Serviu também de cadeia.

Localizada na vertente oriental desta colina dolomítica no caminho do rio, fica uma pequena nascente conhecida pela Fonte da Rainha Santa. Pelo facto da Rainha ali ter ido beber varias vezes, a tradição diz que é milagrosa. Era muito procurada pelas mães que não tinham leite para amamentar os seus filhos.

Monte Real tem sido fértil no aparecimento de antiguidades pre-históricas, que fazem recuar o seu povoamento aos tempos neolíticos. Em 1864 apareceram 50 caveiras numa gruta situada no lugar da Mata (continuação da colina dolomítica), tendo sido, na altura, atribuídas a vítimas da invasão francesa, contudo, estudos posteriores atribuíram essas ossadas ao período neolítico.

De uma anta de Monte Real foi retirado, para o Museu de Belém um machado de basalto, uma faca de sílex e um chapão de ardósia. Nas proximidades foi encontrado outro machado de basalto que também foi levado para o referido museu. Da época romana têm aparecido moedas, alguns cipos e uma árula com a seguinte legenda: F. S. FRONT NIVSA VITVS ALS. Esta lápide está relacionada com as águas medicinais.