Rede Social de Monterealonline
Locais de Monte Real

LeiriaNazaréMarinha GrandeÓbidos



Embora não haja uma definição única do que seja Turismo, as Recomendações da Organização Mundial de Turismo/Nações Unidas sobre Estatísticas de Turismo, o definem como "as atividades que as pessoas realizam durante suas viagens e permanência em lugares distintos dos que vivem, por um período de tempo inferior a um ano consecutivo, com fins de lazer, negócios e outros."



Termas de Monte Real

 

No interior do Pinhal de Leiria, as Termas de Monte Real, conjugam as memórias das estância termais clássicas, como a dinâmica das tecnologias e tratmentos modernos. Os efeitos terapêuticos desta água eram já conhecidos durante a ocupação romana, datando a sua exploração recente de 1807. Nascida à temperatura de 18 graus, esta água é bacteriologicamente pura, sendo recomendada para o tratamento das doenças do aparelho digestivo, reumático e musculo-esqueléticos e do aparelho digestivo. As termas dispõem de programas de relaxamento e bem-estar.

As Termas foram totalmente reconstruídas em 2009 e dotadas com novos equipamentos e serviços.
No interior de uma frondosa mata de 24 hectares, nascem as águas de Monte Real, vila histórica rodeada pelo Pinhal de Leiria.

Estrutura turística: animação termal, ténis, badminton, minigolfe, circuito de manutenção, piscinas, parques, ciclismo, grutas, pesca, caça, tiro, monumentos, praias, concertos, exposições.

Indicações terapêuticas: afecções das vias respiratórias, afecções do aparelho digestivo, afecções reumáticas e músculo-esqueléticas.

A concessão destas termas foi atribuída a Olímpio Duarte Alves em 23 de Dezembro de 1916, tendo a área reservada de 100 hectares sido estabelecida por portaria de 12 de Outubro de 1932.

 

Estas águas, classificadas em 1940 como sulfatadas cálcicas e hipotermais, eram na época indicadas para as doenças do aparelho digestivo. Nesse ano, por falecimento do antigo director clínico, João de Bettencourt, era o médico adjunto, António de Melo e Maia, o responsável pelas termas.


Ainda nesse ano, trataram-se essencialmente doenças gastro-intestinais (66% do total), seguindo-se as doenças de fígado (25%) e de reumatismo (3%), representando as restantes doenças (diabetes, faringites e outras) os remanescentes seis por cento.

Estas termas registaram em 1938 a inscrição de 1.771 aquistas, 2.022 no ano seguinte e 2.028 em 1940.